A 2015 estou grata

A 2015 estou grata.
Foi um ano de mudanças, um ano de rebeldia académica e crescimento pessoal. Nunca pensei que deixar "um ano para trás" não trouxesse com ele uma casa em pantanas com discussões a toda a hora e um castigo desumano. Pensei que isto de não terminar a tese resultasse em grandes arrependimentos e choradeira três vezes por semana. Pelo contrário, ainda não terminei a tese (2016 está a guardá-la) e estou um pouquinho arrependida e desiludida mas sei que não teria forças para o fazer porque, desistir dela por agora abriu-me portas e tornou os meus dias bem menos sós.
Este ano deu-me uma nova família e sei disso porque nas folgas já sinto um pequeno vazio. Deixou-me um rol de decisões para tomar que estou a adiar para 2016, com a pequena esperança de que o tempo as faça acontecer sem ter de arriscar.
Se 2015 me obrigou a enfrentar medos, 2016 trá-los a dobrar. Vem aí um ano de riscos, decisões difíceis e ainda mais mudanças. Vamos de cabeça, afinal, amanhã é um novo ano mas a história ainda é a minha.
A todos um bom ano 2016. Sucesso.

Sem comentários: